Dia da Terra 2018

Dia da Terra 2018

Estamos entregando este planeta para aqueles que o limpam. Eu gostaria de acreditar que a maioria de nós nos importamos, mas eu também sei que para muitos de nós, desde que estejamos confortáveis e sem sermos afetados, a necessidade de corrigir as coisas se torna no máximo um pensamento. E talvez eu esteja sendo cínico, talvez seja só eu. Mas a taxa com a qual as mudanças estão sendo afetadas é totalmente desumana. Eu acredito que se as pessoas realmente entendessem ou compreendessem o estado das coisas, nenhuma delas daria partida em seu carro na manhã seguinte. Haveria uma decisão coletiva e global de banir o uso de combustíveis fósseis. Esse mesmo coletivo insistiria em soluções de energia mais limpas, e se livrariam das arraigadas indústrias que continuam a gerar seus lucros se aproveitando das pessoas. Infelizmente a humanidade se distrai facilmente. Nós nos distraímos com os nossos trabalhos, com as notícias, entretenimento, consumismo, dinheiro, redes sociais, nossos celulares e guerras. Como resultado, a importância do Dia da Terra 2018 não pode ser deixado para depois.

Como tudo isso aconteceu?

O Dia da Terra é comemorado no dia 22 de abril, assim acontece em todo o mundo, tendo origem no país que é o maior responsável pelos males sociais e ambientais do mundo, o bom e velho Estados Unidos da América. Nos Estados Unidos dos anos 60, havia um discurso sobre os efeitos da poluição que ganhou destaque através do best-seller de Rachel Carson, Silent Springs, um livro que aborda o efeito nocivo dos pesticidas. A pessoa responsável por criar o Dia da Terra foi uma pessoa chamada Gaylord Nelson, um senador dos EUA, do estado de Winconsin, quem através de seu incentivo para criar o Dia da Terra, criou uma nova onda de ativismo ambiental.

Desde a sua infância, o Dia da Terra cresceu muito; o primeiro Dia da Terra foi comemorado em 1970, em sua grande maioria por estudantes de faculdades e universidades, atraiu pouco mais de um milhão de pessoas no total. Seu 20º aniversário, em 1990 atraiu mais de 200 milhões de pessoas, e neste ponto contou com a participação de 141 países. Hoje, o Dia da Terra é comemorado em 192 países, chamando a atenção de mais de 17.000 grupos ambientas, tendo sido sediado em alguma das cidades mais importantes do mundo. Dentre as cidades-sede podemos citar Nova Iorque, Londres e Madrid. 

O que o Dia da Terra Almeja?

O dia da terra existe para criar suporte e conscientização sobre a proteção do meio ambiente, e em cada comemoração, houve um subsequente aumento da multidão que era atraída, e um número de questões maior para abordar. Importantes áreas de interesse incluem a poluição do oceano, os detritos gerados por aterros sanitários, conservar o ecossistema da Terra, mudanças climáticas, superpopulação, questões nucleares, a camada de ozônio, decomposição e corrosão do solo, e muito mais.

Seis Marcos

Eu não estou iludido. Eu estou otimista sobre a ideia de que podemos salvar este planeta, mas eu também não compro isso de alma e coração. Existe muita coisa errada no mundo e muita falta de informação por aí. Com correções rápidas nos bits de informações disponíveis na Internet, não é fácil se deparar com uma informação equivocada, ou com uma história pela metade, e isso promove um clima de confusão social e de desinteresse – ambos levando ao mesmo resultado – nada é feito. Podemos voltar no tempo? Muito improvável. Citando Ben Affleck como Bruce Wayne no filme A Liga da Justiça de 2017: “Nós tendemos a pensar que o alarme do juízo final possui algum tipo de função soneca”.

Material de uma fonte brega, mas absolutamente verdadeiro. Esse filme pode não ter feito muito dinheiro como o estúdio Brass esperava, mas se tornou popular o bastante para dar origem a um jogo de cassino on-line sobre ele. Mas, propagandas sombrias, melancólicas e sem vergonha deixadas de lado, vamos nos focar no que está sendo feito, e no que pode nos salvar.

  1. A Ratificação das Mudanças Climáticas: Voltando para outubro de 2016, 55 países, contabilizando 55% da emissão de gases responsáveis pelo efeito estufa ratificaram o acordo de alteração climática de Paris. No dia 4 de novembro daquele mesmo ano, ele entrou em vigor. A meta desse acordo era manter o aumento que existia antes da revolução industrial, uma tarefa gigantesca, especialmente quando você considera que não existe uma data precisa para o início da revolução industrial. Especulações científicas consideram como sendo o período entre 1720 e 1800. 
  1. Menos dependência no carvão: A Grã-Bretanha pode se gabar por ter tornado o uso de sua eletricidade o mais limpo que já existiu em seus últimos 60 anos. A utilização de carvão tem enfrentado uma queda, e em seu lugar, entram as energias renováveis. Mas vamos falar de algo que é impressionante, a Costa Rica. Eles não utilizam nada de carvão. O país possui uma política 100% verde! Mas eles também não estão apostando todo seu dinheiro em um único cavalo. A energia eólica, fontes geotérmicas, energia solar e uma sólida infra-estrutura hidrelétrica estão atendendo às necessidades energéticas da Costa Rica por completo. Os vice-campeões são o Canadá, França, Dinamarca, Escócia, Suécia e Finlândia.
  1. Carros Elétricos Existem: Eles não somente existem, mas estão ganhando tração e possuem interesses legitimados e investidos. Todas as grandes companhias de carros produziram carros legítimos, totalmente elétricos, e outros que também podem competir com os veículos movidos a combustível fóssil de alto desempenho. Apesar de ainda estarmos um pouco longe de ver algo parecido com o que Henry Ford fez, existem bons motivos para acreditar que isso está acontecendo; ou seja, o fato de que os custos com energia elétrica podem diminuir se a utilização de energia verde aumentar, impulsionaria mercados compradores, trazendo assim um produto de carro elétrico mais acessível e disponível.
  1. A Energia Eólica pode mandar a concorrência pelos ares: A energia eólica está ganhando tração em todo o mundo, e quem está liderando o caminho em termos de produção ou Megawatts é a China. Faz sentido que o maior país do mundo possua a maior capacidade de produção de energia eólica do mundo, especialmente considerando que a maior parte da produção manufatureira do mundo moderno acontece na China! Os EUA vêm em segundo lugar, e em seguida a Alemanha. A Índia ocupa o 5º lugar o Brasil está em 10º. Locais desérticos, áreas com baixa incidência de ventos, e vastas regiões costeiras estão sendo utilizados por sua capacidade de servir como locais de base para a instalação de plantas de usinas eólicas.
  1. Lava! Noruega: Atualmente, os cientistas acreditam que a energia geotérmica pode ser aproveitada em regiões conhecidas por sua atividade vulcânica. A Noruega, um país cuja própria existência é embasada nas costas de 130 vulcões, lidera o caminho ao utilizar a força desses vulcões. De fato, mais de 25% da necessidade elétrica da Noruega está sendo atendida pelo aproveitamento da água em temperatura de ebulição. Acessando câmaras repletas de magma, cientistas foram capazes de utilizar o calor para gerar vapor a 450 graus, e em seguida, convertendo-o em energia geotérmica. As usinas geotérmicas foram construídas para explorar áreas onde o fluxo de magma está ao alcance – até 5 km abaixo da superfície!
  1. Liderando o mundo: Nada é mais expressivo do que um exemplo sendo dado, e se vamos nos direcionar cada vez mais para a energia renovável, então precisaremos de líderes e inovadores, faróis de esperança e inspiração – países que liderem os movimentos. Neste momento, os países que estão definindo as tendências e restabelecendo as normas são a Suécia, Costa Rica, Nicarágua e Escócia, que em 2015, abasteciam todas as moradias familiares com eletricidade gerada por energia eólica.

Metas do Dia da Terra 2018

A principal meta do Dia da Terra de 2018 é acabar com a poluição plástica, uma necessidade ambiciosa, mas essencial. No momento, enquanto você está lendo este artigo, existem 5,25 trilhões de pedaços de plástico no oceano. Deste oceano de plástico, 269.000 toneladas estão flutuando na superfície, e especula-se que 4 bilhões de microfibras de plástico podem ser encontradas por quilômetro quadrado de água. Existe uma especulação de que a quantidade de plástico que se encontra no oceano, supera a de vida marinha em 2050 vezes, uma conclusão científica muito fácil de se acreditar, quando se considera o fato de que a cada minuto, despeja-se no oceano o equivalente a um caminhão de lixo.

O Dia da Terra 2018 quer criar conscientização, discursos abertos e fogueiras claras o bastante para assegurar não somente que evitemos a desagradável previsão de 2050, mas que iniciemos mudanças que possam trazer uma mudança permanente. O plano é focar na atitude e comportamento humano em relação ao plástico, e isso será implementado através dos seguintes meios:

  • Adoção de uma estrutura global para a regularização da poluição plástica
  • Educar a população global, e fazer com que essa população exerça pressão em seus governos e em corporações, para que cortem e reduzam a poluição plástica
  • Inspirar pessoas a realizar mudanças pessoais, reutilizando o plástico, rejeitando o plástico, reduzindo o uso de plástico e reciclando o plástico
  • Trabalhando com educadores, institutos universitários e estudantes para acabar com o uso do plástico
  • Trabalhar com várias organizações para consagrar o Dia da Terra de 2018, como uma fundação formidável, a partir da qual parcerias podem ser formadas para acabar com a poluição plástica
  • Notificando o público global sobre progressos feitos por municípios e governos locais, relacionados ao combate à poluição plástica
  • Disponibilizando recursos jornalísticas para que notícias sobre problemas e soluções possam ser divulgadas

O Dia da Terra de 2018 será usado para alcançar todas as metas mencionadas acima, ao mesmo tempo em que se prepara para o 50º aniversário do dia, que será celebrado em 2020. Podemos torcer pelo sucesso, mas também devemos agir se desejamos fazer parte da solução, e não parte de um problema contínuo.

Fontes:

https://www.earthday.org/
https://www.earthday.org/campaigns/plastics-campaign/
https://theconversation.com/six-articles-to-make-you-optimistic-about-the-planets-future-this-earth-day-76534