Isto é o fim do YouTuber?

Isto é o fim do YouTuber?
Fonte: pixabay

Não há dúvidas de que o YouTube é um site que tem sido motivo de séria controvérsia. E, dada a natureza desse site de compartilhamento de mídia, é lógico que existe alguma controvérsia. Mas a controvérsia mais recente mudou o YouTube para sempre, talvez até mesmo levando ao fim de muitos canais do YouTube.

A instância envolveu o popular YouTuber Logan Paul, que foi longe demais no que ousou publicar em seu canal. Em um vídeo que atraiu enorme controvérsia e desprezo, Logan Paul encontrou o corpo de uma pessoa que havia cometido suicídio. Exibido pendurado pelo pescoço, o corpo foi claramente mostrado por quase dez minutos de vídeo, com Logan e amigos parecendo a princípio perplexos sobre como se comportarem, e depois claramente empolgados com a ideia de quanta atenção o vídeo receberia indubitavelmente.

Mas Logan Paul talvez não previsse as consequências do longo alcance de seu vídeo profundamente desagradável.

Novas regulamentações em vigor

Em resposta ao vídeo, o YouTube anunciou que implementaria medidas mais rigorosas para todos os criadores de conteúdo, bem como para seu programa parceiro, o Google Preferred Premium Advertising. As mudanças gerais agora exigem que o usuário tenha acumulado pelo menos 4.000 horas de tempo total de exibição em 12 meses, além de ter pelo menos 1.000 inscritos.

Essas medidas podem não parecer rigorosas à primeira vista, mas muitos estão dizendo que isso significa o fim do YouTube como um dos sites mais populares da internet. Por quê? Porque agora ficou mais difícil do que nunca para novos criadores de conteúdo entrarem no mundo do YouTube e receberem qualquer lucro com isso. Assim, nunca foi menos atraente para os criadores de conteúdo se envolverem no canal.

Por que as novas regulamentações?

O YouTube tem expressado em várias ocasiões que o principal meio de obtenção de lucro no YouTube é via publicidade. O dinheiro é ganho por anúncios exibidos durante os vídeos do YouTube, com uma parte da receita indo para o YouTube e o restante para o criador do conteúdo.

O problema vem de empresas que preferem que seus anúncios sejam exibidos em conteúdo inofensivo e familiar. Afinal, alguma empresa ficaria feliz com seu anúncio sendo visto em um vídeo em que uma pessoa mostra uma vítima de suicídio? Obviamente não, o que é um problema que já tem sido motivo de preocupação para o YouTube há muito tempo.

Já se nota que os YouTubers mais populares pararam de usar linguagem obscena em seus canais e pararam de fazer piadas que possam ser inadequadas para alguns. Esse desenvolvimento foi um resultado da advertência dada a esse problema anteriormente. O incidente de Logan Paul simplesmente expôs o problema mais diretamente aos holofotes.

Um espaço de mídia para todos – ou não?
Fonte: pixabay

Este é o fim do YouTube?

Muitos foram rápidos em declarar que o YouTube entraria em colapso com as novas restrições em vigor, mas isso é realmente verdade? Não há dúvida de que as novas restrições tornam menos provável o envolvimento de novos criadores de conteúdo. Ou, pelo menos, criadores de conteúdo que não estejam dispostos a trabalhar muito antes de obter qualquer lucro. Mas, como sempre, o mundo on-line é uma aposta e, assim como jogar em um cassino, muitas vezes o que você aposta é o que você ganha. Aqueles que quiserem ir além e criar conteúdo de primeira linha no YouTube chegarão ao topo, independentemente de quais novas regulamentações forem colocadas em prática.

Alguns também têm argumentado que as novas regulamentações resultarão apenas em um conteúdo melhor e mais focado no mundo do YouTube, o que é a intenção. Assim, as regulamentações estarão realmente restringindo aqueles que não querem se esforçar, e talvez só confiem em vídeos de impacto tático para gerar lucro.

É um debate em andamento que ainda causa muito desalento entre as comunidades do YouTube. De qualquer maneira, as regulamentações foram colocadas em prática, e as consequências a longo prazo dessas novas regulamentações serão vistas.

Conhecendo as novas regras do YouTube
Fonte: pixabay

Futuro do YouTube

No geral, há poucas chances de o YouTube entrar em colapso total como um site. Como os principais YouTubers ainda estão indo bem e mostram pouca intenção de parar, o YouTube ainda é claramente um lugar para os canais já estabelecidos prosperarem. O entanto, o YouTube provavelmente continuará evoluindo, com a implementação de novos regulamentos conforme necessário. Novos canais, agora mais do que nunca, terão que se destacar como nunca antes para ganharem força.